• As 5 principais pragas que habitam a sua residência

    2 agosto 2017
    1871 Visualizações

    Você sabia que os insetos formam o grupo mais diverso de seres vivos do planeta? Atualmente, a ciência conhece cerca de um milhão de insetos, embora muitos acreditam que há entre 2,5 milhões e 10 milhões de espécies!

    A importância dos insetos para a natureza é indiscutível, saiba mais sobre isso nesse site sobre entomologia. De fato, a variedade dessas pequenas criaturas é realmente fascinante, preferencialmente quando estão bem longe das nossas casas.

    De acordo com um estudo norteamericano, citado por O Globo, há mais de 100 espécies de inseto em cada casa nos EUA. Mesmo que nossa realidade e climas sejam diferentes, nós não ficamos muito atrás, ainda mais em um país tão biodiverso como o nosso. A questão é que muitos desses insetos são muito perigosos para a saúde e devem ser eliminados da sua casa o quanto antes. Vejamos agora as 5 pragas mais presentes nas casas e como se livrar delas.

    Baratas

    As baratas são umas das visitas (e muitas vezes, residentes) mais odiadas pelos humanos. De aspectos e hábitos asquerosos, elas podem ser vistas em grande parte do território nacional. Insetos onívoros, elas comem tudo o que veem pela frente.

    As baratas apresentam antenas para captar odores e a presença de alimentos ou água. O corpo é revestido por uma camada de gordura e um casco de quitina. A gordura serve como reserva de alimento e o casco como proteção contra esmagamentos.

    Tantos as patas quanto as fezes e os restos do seu corpo podem carregar microorganismos que podem causar, quando ingeridos, desde diarreias a doenças mais graves como a hepatite A. Para evitar essas e outras doenças, não deixe de acabar com os vazamentos de água na casa (afinal , elas precisam de água para sobreviver). Melhore também a limpeza da sua casa, evitando deixar restos de comida pelo chão. Você pode ver nesse post algumas outras sugestões para acabar com esse inseto medonho.

    Cupins

    Há 300 espécies de cupins em todo o território nacional. Mas como já dissemos nesse post, existem 3 tipos de cupim que são mais presentes em nossas residências: os coleópteros, os de Madeira Seca e os subterrâneos.   

    O primeiro grupo tem seu momento mais perigoso na fase de larva, já que costumam se alimentar quase que exclusivamente de madeira. Os de Madeira Seca não são muito agressivos, mas comem as madeiras da casa deixando vestígios por onde passam. Os subterrâneos são os que vivem de forma mais organizada, e se sua população não for controlada, podem causar sérios riscos para sua casa.

    Os cupins não costumam estar associados a doenças, mas há casos de asma e alergias causadas e pela saliva e pelas fezes do inseto.

    Existem várias receitas para acabar com cupins. Muitos indicam a utilização de vinagre, óleos, querosene e até mesmo o famoso inseticida. Você pode também evitar infestações futuras, mantendo sua casa seca e fechando aberturas em janelas e portas.

    Formigas

    O Brasil é um dos países com mais espécies de formiga no mundo. A saúva, por exemplo, é uma iguaria gastronômica consumida em várias partes do Brasil. Apesar de seu papel na alimentação e na cultura popular, lembre-se que a presença de formigas na sua casa não é um bom sinal.

    A formiga é um inseto que se organiza em uma sociedade complexa onde os grupos de indivíduos têm funções específicas. Em um formigueiro, convivem, por exemplo, a rainha, operários e soldados. Em sua maioria, se alimentam de sal, gordura e açúcar.

    Há quem diga que formigas são mais perigosas para a saúde do que as baratas. Portanto, você deve, pelo menos, diminuir a população delas na sua casa. Como são pragas bem resistentes, é importante que implemente medidas incisivas para destruir o seu habitat. Uma ideia é aplicar água com vinagre no formigueiro para aumentar acidez do ambiente, algo que elas não costumam suportar. Lembre-se também de manter a casa sempre limpa. Veja 2 dicas para acabar com as formigas.

    Mosquitos

    Aedes aegypti. Esse nome te soa familiar? Somente essa espécie é capaz de transmitir 4 doenças muito sérias: o Zika, a dengue, a chikungunya e a febre amarela. Para ter uma noção do perigo representado por esse inseto de 0,5 cm, é só observar as estatísticas. Ano passado, foram quase 1 milhão de pessoas infectadas pela dengue e 100 mil pelo zika, segundo reportagem do G1.

    Os mosquitos da dengue e os pernilongos costumam estar presentes nas cidades, principalmente as áreas mais quentes. Mesmo os que não causam doenças também podem ser muito incômodos, porque também picam humanos para se alimentar de sangue, causando muitas coceiras.

    Nesse blog, já tratamos de algumas maneiras de combater mosquitos em casa e ainda demos dicas específicas para se livrar do Aedes. De qualquer forma, vale relembrar: previna-se, evitando o acúmulo de água parada e usa telas por toda a casa.

    Moscas

    Não é só de zumbidos irritantes que vivem as moscas. Elas também estão sempre transportando microorganismos adquiridos pelo contato com lixo, fezes e outros tipos de sujeira. Você já deve imaginar o que pode acontecer quando ela pousa nos seus alimentos ou em algum machucado.

    A lista de doenças transmitidas pelas moscas é extensa: disenteria, micose, conjuntivite e até febre tifóide. Todas causadas por microorganismos transportados nos pelos desse inseto.

    Se você quiser saber como impedir que esse inseto continue a residir na sua casa, você pode ler o nosso artigo “Como se livrar das moscas, essa companhia indesejável”. Uma dica que pode te ajudar bastante é nunca deixar o lixo acumular dentro de casa e fazer a assepsia das cestas de lixo periodicamente.

    Alguns cuidados são bem simples, mas não garantem o controle efetivo de infestação de todos os insetos. Muitas das medidas que podemos tomar em casa vão ajudar a diminuir as populações de inseto. No entanto, somente uma dedetização eficiente, com profissionais qualificados pode te dar resultados realmente eficientes. Já ouviu falar na Inset System? Faça um orçamento gratuito com a gente e acabe com os insetos!

    Leia mais
  • Limpeza na caixa d’água deve ser feita com frequência

    5 julho 2017
    1071 Visualizações
    Limpeza na caixa d’água deve ser feita com frequência

    Você sabia que 80% das doenças têm algum tipo de relação com a água que consumimos todos os dias? E que esses tipos de doença são responsáveis por grande parte das internações em hospitais do Brasil? A partir desses dados, está mais do que evidente de que é necessário fazer a limpeza da sua caixa d’água com frequência. Especialistas consideram que a limpeza deve ser feita pelo menos duas vezes por ano.

    A limpeza, assim como a manutenção da caixa, deve ser frequente por conta da proliferação de bactérias e de insetos. As origens dessa contaminação são diversas. No caminho entre a estação de tratamento e a sua casa, pode haver resíduos perigosos nas tubulações que serão carregados pela água. Uma pequena abertura também pode ser capaz de deflagrar uma onda de larvas de mosquitos, que podem causar doenças sérias, como a dengue. Além disso, um cuidado maior com a tampa e com o material da caixa d’água podem evitar que animais maiores, como gatos e ratos entrem na caixa e bebam da água, contaminando-a com bactérias.

    Com a renovação da água, você também evita doenças como disenteria, gastroenterite, leptospirose e verminoses em geral, entre outras ainda mais sérias. Mas como fazer essa limpeza?

    Dando uma caprichada na sua caixa d’água

    A seguir, vamos mostrar alguns passos básicos para fazer uma assepsia adequada da sua caixa d’água.

    1. Feche o registro da caixa d’água ou o registro geral da casa;
    2. Esvazie a caixa d’água (sem desperdiçar!), deixando um pouco de água dentro;
    3. Utilize um pano, esponja ou escova para limpar a parte interna (não utilize produtos químicos!);
    4. Retire a água suja decorrente dos passos anteriores com um balde e um pano;
    5. Reabra o registro e deixe entrar um pouco mais de água (30 cm de profundidade ou 1 palmo);
    6. Despeje um pouco de água sanitária ou cloro na água para fazer a sanitização. Atenção à medida: 1 litro de água sanitária para cada 1000 litros de água.
    7. Deixe essa mistura de água com cloro (ou algo sanitária) ficar na caixa por 2 horas para concluir a sanitização;
    8. Depois desse período, ligue novamente o registro e abra torneiras, chuveiros e descargas da sua casa para que toda a tubulação seja saneada;
    9. Após o escoamento total dessa água, feche todas as torneiras, chuveiros e descargas para que a caixa d’água encha novamente.  
    10. Pronto! Sua caixa d’água está totalmente higienizada.

    Apesar de muito importante, a tarefa de fazer a assepsia correta da sua caixa d’água não é muito simples. Alguns descuidos pequenos, como utilizar produtos químicos que não sejam os que citamos podem gerar outras contaminações. Além de dar trabalho, pode ser perigoso. Deixe que a Inset System faça isso por você.

    Você precisa limpar a caixa d’água do seu prédio?  Essa matéria do G1 atesta a importância dessa limpeza de 6 em 6 meses. O processo é ainda bem mais complexo e deve ser feito por um profissional. Mais uma razão para você escolher a Inset System. Faça um orçamento conosco.

     

    Leia mais
  • 6 maneiras de combater as traças e proteger roupas e livros

    15 fevereiro 2017
    5584 Visualizações
    6 maneiras de combater as traças e proteger roupas e livros

    Não há nada mais irritante do que fazer a arrumação anual da estante e ver seus queridos livros destruídos pelas traças. Mas nada está perdido nessa vida. (mais…)

    Leia mais
  • Mantenha-se saudável durante o verão e aproveite as férias

    1 fevereiro 2017
    897 Visualizações
    Mantenha-se saudável durante o verão e aproveite as férias

    O verão já chegou estrondando. E o Brasil, conhecido por seu clima tropical durante o ano todo e por suas belas praias, atrai a atenção de turistas para as merecidas férias. Para que você aproveite ao máximo cada minuto do verão, não deixe de cuidar da saúde. Mesmo nos dias mais quentes e ensolarados, é possível contrair uma doença que pode acabar com seus planos para essa época do ano. Sabendo disso preparamos algumas dicas que você deve seguir para aproveitar os dias mais quentes sem preocupação. (mais…)

    Leia mais
  • Dengue. A luta continua

    25 janeiro 2017
    938 Visualizações
    Dengue. A luta para vencê-la continua

    Mosquitos transmissores da dengue são utilizados no combate à doença. Técnica desenvolvida no Brasil usa fêmeas de ‘Aedes aegypti’ e ‘Aedes albopiuctus’ para levar doses de inseticida a criadouros de difícil acesso ao homem. (mais…)

    Leia mais