• As 5 principais pragas que habitam a sua residência

    2 agosto 2017
    1870 Visualizações

    Você sabia que os insetos formam o grupo mais diverso de seres vivos do planeta? Atualmente, a ciência conhece cerca de um milhão de insetos, embora muitos acreditam que há entre 2,5 milhões e 10 milhões de espécies!

    A importância dos insetos para a natureza é indiscutível, saiba mais sobre isso nesse site sobre entomologia. De fato, a variedade dessas pequenas criaturas é realmente fascinante, preferencialmente quando estão bem longe das nossas casas.

    De acordo com um estudo norteamericano, citado por O Globo, há mais de 100 espécies de inseto em cada casa nos EUA. Mesmo que nossa realidade e climas sejam diferentes, nós não ficamos muito atrás, ainda mais em um país tão biodiverso como o nosso. A questão é que muitos desses insetos são muito perigosos para a saúde e devem ser eliminados da sua casa o quanto antes. Vejamos agora as 5 pragas mais presentes nas casas e como se livrar delas.

    Baratas

    As baratas são umas das visitas (e muitas vezes, residentes) mais odiadas pelos humanos. De aspectos e hábitos asquerosos, elas podem ser vistas em grande parte do território nacional. Insetos onívoros, elas comem tudo o que veem pela frente.

    As baratas apresentam antenas para captar odores e a presença de alimentos ou água. O corpo é revestido por uma camada de gordura e um casco de quitina. A gordura serve como reserva de alimento e o casco como proteção contra esmagamentos.

    Tantos as patas quanto as fezes e os restos do seu corpo podem carregar microorganismos que podem causar, quando ingeridos, desde diarreias a doenças mais graves como a hepatite A. Para evitar essas e outras doenças, não deixe de acabar com os vazamentos de água na casa (afinal , elas precisam de água para sobreviver). Melhore também a limpeza da sua casa, evitando deixar restos de comida pelo chão. Você pode ver nesse post algumas outras sugestões para acabar com esse inseto medonho.

    Cupins

    Há 300 espécies de cupins em todo o território nacional. Mas como já dissemos nesse post, existem 3 tipos de cupim que são mais presentes em nossas residências: os coleópteros, os de Madeira Seca e os subterrâneos.   

    O primeiro grupo tem seu momento mais perigoso na fase de larva, já que costumam se alimentar quase que exclusivamente de madeira. Os de Madeira Seca não são muito agressivos, mas comem as madeiras da casa deixando vestígios por onde passam. Os subterrâneos são os que vivem de forma mais organizada, e se sua população não for controlada, podem causar sérios riscos para sua casa.

    Os cupins não costumam estar associados a doenças, mas há casos de asma e alergias causadas e pela saliva e pelas fezes do inseto.

    Existem várias receitas para acabar com cupins. Muitos indicam a utilização de vinagre, óleos, querosene e até mesmo o famoso inseticida. Você pode também evitar infestações futuras, mantendo sua casa seca e fechando aberturas em janelas e portas.

    Formigas

    O Brasil é um dos países com mais espécies de formiga no mundo. A saúva, por exemplo, é uma iguaria gastronômica consumida em várias partes do Brasil. Apesar de seu papel na alimentação e na cultura popular, lembre-se que a presença de formigas na sua casa não é um bom sinal.

    A formiga é um inseto que se organiza em uma sociedade complexa onde os grupos de indivíduos têm funções específicas. Em um formigueiro, convivem, por exemplo, a rainha, operários e soldados. Em sua maioria, se alimentam de sal, gordura e açúcar.

    Há quem diga que formigas são mais perigosas para a saúde do que as baratas. Portanto, você deve, pelo menos, diminuir a população delas na sua casa. Como são pragas bem resistentes, é importante que implemente medidas incisivas para destruir o seu habitat. Uma ideia é aplicar água com vinagre no formigueiro para aumentar acidez do ambiente, algo que elas não costumam suportar. Lembre-se também de manter a casa sempre limpa. Veja 2 dicas para acabar com as formigas.

    Mosquitos

    Aedes aegypti. Esse nome te soa familiar? Somente essa espécie é capaz de transmitir 4 doenças muito sérias: o Zika, a dengue, a chikungunya e a febre amarela. Para ter uma noção do perigo representado por esse inseto de 0,5 cm, é só observar as estatísticas. Ano passado, foram quase 1 milhão de pessoas infectadas pela dengue e 100 mil pelo zika, segundo reportagem do G1.

    Os mosquitos da dengue e os pernilongos costumam estar presentes nas cidades, principalmente as áreas mais quentes. Mesmo os que não causam doenças também podem ser muito incômodos, porque também picam humanos para se alimentar de sangue, causando muitas coceiras.

    Nesse blog, já tratamos de algumas maneiras de combater mosquitos em casa e ainda demos dicas específicas para se livrar do Aedes. De qualquer forma, vale relembrar: previna-se, evitando o acúmulo de água parada e usa telas por toda a casa.

    Moscas

    Não é só de zumbidos irritantes que vivem as moscas. Elas também estão sempre transportando microorganismos adquiridos pelo contato com lixo, fezes e outros tipos de sujeira. Você já deve imaginar o que pode acontecer quando ela pousa nos seus alimentos ou em algum machucado.

    A lista de doenças transmitidas pelas moscas é extensa: disenteria, micose, conjuntivite e até febre tifóide. Todas causadas por microorganismos transportados nos pelos desse inseto.

    Se você quiser saber como impedir que esse inseto continue a residir na sua casa, você pode ler o nosso artigo “Como se livrar das moscas, essa companhia indesejável”. Uma dica que pode te ajudar bastante é nunca deixar o lixo acumular dentro de casa e fazer a assepsia das cestas de lixo periodicamente.

    Alguns cuidados são bem simples, mas não garantem o controle efetivo de infestação de todos os insetos. Muitas das medidas que podemos tomar em casa vão ajudar a diminuir as populações de inseto. No entanto, somente uma dedetização eficiente, com profissionais qualificados pode te dar resultados realmente eficientes. Já ouviu falar na Inset System? Faça um orçamento gratuito com a gente e acabe com os insetos!

    Leia mais
  • Por que você sente coceira quando leva uma picada de pernilongo (e como se livrar dela)?

    19 julho 2017
    908 Visualizações

    Quem nunca foi mordido por pernilongos e ficou com a pele cheia de erupções? Além de estranhos, esses protuberâncias na pele podem causar uma coceira incontrolável. Você já se perguntou por que isso acontece?

    Em linhas gerais, a picada do pernilongo é interpretada pelo corpo como uma espécie de invasão. As substâncias que são injetadas na nossa pele nesse momento viram alvo do sistema de defesa do corpo – o sistema imunológico. Logo, os soldados da nossa linha de defesa corporal (linfócitos) atacam os invasores, auxiliados por substâncias liberadas pelos mastócitos. Uma delas é a histamina.

    O papel da histamina

    Esta substância é a principal responsável pela coceira. Ela dilata os vasos sanguíneos para aumentar a circulação do sangue no local da invasão. Em contrapartida, a substância, produzida em exagero, acelera as funções corporais e irrita a pele, causando as irritantes coceiras.

    Se você reconheceu o nome dessa substância por causa de um famoso medicamento para alergias, você já deve ter entendido a relação deste com a histamina. Remédios anti-alérgicos geralmente atuam na regulação da liberação da histamina pela diminuição dos vasos sanguíneos. Esses remédios também acabam por acalmar o corpo, tornando-o mais lento, o que explica a sonolência tipicamente causada por esse medicamento.

    Como se livrar da coceira

    Existem inúmeras formas de acabar com essa sensação incômoda. Contudo, todas elas demandam alguma paciência, porque mesmo que algumas sejam imediatas, a coceira só vai terminar quando o processo de inflamação acabar. Evite coçar para que não haja infecções bacterianas decorrentes do contato da sua unha com o local. Aí vão algumas sugestões que podem te ajudar a amenizar esse incômodo:

    • Aplique uma compressa de água fria ou gelo na pele;
    • Utilize pomadas anti sépticas, anti-histamínicas e outras substâncias sugeridas pelo farmacêutico ou médico;
    • Use produtos naturais como a babosa, o manjericão, o óleo de lavanda e o óleo de melaleuca;
    • Em vez de coçar com as unhas, pressione a área com tapas ou com algodão embebido em álcool.

    Aja na causa dessas coceiras. Elimine esses insetos da sua casa. Aprenda como acabar com eles nesse post e acesse o site do Inset System para conhecer os nossos serviços de dedetização, descupinização e desratização.

    Leia mais
  • O que é Dengue? Conheça os sintomas e tratamentos

    12 julho 2017
    1122 Visualizações

    Todo o verão é a mesma coisa: os números de contaminação e entradas em hospitais decorrentes da Dengue são sempre assustadores! Entretanto, de acordo com um estudo feito por acadêmicos do RJ, RN e SP, citado na matéria da Folha, o combate à proliferação dessa doença deve ser feito o ano todo. É óbvio que durante o verão, as chuvas recorrentes produzem muito mais ambiente para as larvas do mosquito se desenvolverem. No entanto, elas não são muito exigentes: numa coluna de apenas 10mm de água, já pode ocorrer todo o seu processo de desenvolvimento.

    O papel do mosquito

    Mas o que é exatamente a dengue? É uma doença que, apesar de comum, é muito séria e perigosa. Os sintomas são causados por uma infecção por um vírus, que é transportado pelo mosquito Aedes aegypti. O inseto passa a carregar consigo o tal vírus quando pica alguma pessoa que já estava infectada pela doença. Conforme explica o site da Fiocruz, o Aedes aegypti só passa a infectar outras pessoas a partir de 10 dias, quando o vírus entra em suas glândulas salivares. A contaminação ocorre exatamente no contato da saliva contaminada do vetor com o sangue da vítima.

    Sintomas: Febres e dores no corpo

    Embora haja quatro variações de vírus da dengue, o DEN-1, DEN-2, DEN-3 e DEN-4, os sintomas da doença não variam muito. Geralmente as pessoas infectadas têm febre alta, dores de cabeça e nas articulações, além de cansaço e indisposição. Caso haja reincidência da doença, o quadro pode “evoluir” para a dengue hemorrágica (derivação muito perigosa da doença). Os sintomas são similares, mas ocorrem hemorragias, sangramentos leves (como na gengiva) e outros mais graves, como no trato gastrointestinal e dentro do crânio. Esses sangramentos são causados por lesões nas veias decorrentes do processo infeccioso da dengue.

    Como tratar a dengue?

    “A prevenção é a única arma contra a doença”, de acordo com o Dengue.org. Para combater a proliferação da doença, deve-se dificultar o desenvolvimento das larvas do mosquito. É importante, por isso, evitar a água parada. Não se esqueça de desentupir as calhas da sua casa, tampar bem recipientes como garrafas e barris e também de limpar a sua caixa d’água (sabe como fazer isso? Veja nosso post da semana passada! LINK). Para saber de outras formas de se livrar do mosquito da dengue, clique aqui.  

    É importante que você vá ao médico o mais rápido possível, caso tenha os sintomas que descrevemos aqui. O diagnóstico pode demorar um pouco (3 a 4 dias), porque depende do resultado de um exame de sangue específico.

    A medicação geralmente atua nos sintomas e não na causa da doença. E um dos principais remédios é hidratar-se regularmente, como forma de evitar complicações mais sérias. De acordo com essa matéria do G1, deve-se beber água para repor o líquido retirado dos vasos sanguíneos pela doença.

    Em relação a doenças potencialmente perigosas como essa, informação nunca é demais. No nosso blog você encontra outros posts sobre o mosquito e sobre as doenças causadas por ele. A forma mais eficaz de acabar com os logradouros de mosquitos da Dengue na sua casa é a busca de profissionais especializados. Conheça as soluções da Inset System para sua casa, prédio ou escritório.

    Leia mais